A mudança para veículos elétricos vai custar trabalho na empresa Continental, disse o presidente-executivo Elmar Degenhart, a um jornal alemão, mas disse que muitos desses trabalhos seriam compensados ​​por novas posições relacionadas à eletro-mobilidade.

Continental

“Devido ao baixo valor acrescentado, trabalhos de produção serão perdidas”, semanário alemão Welt am Sonntag citou Degenhart como dizendo em um resumo de um artigo a ser publicado no domingo.

Ele disse que era muito cedo para dizer se o número de empregos que seriam perdidos seria maior do que o número de novas posições criadas.

“Há tempo suficiente para projetar o processo de tal forma que o golpe seja suavizado e grande dor pode ser evitada”, disse ele.

Cerca de 30 mil dos 218 mil empregos na Continental são dependentes de motores de combustão, disse o jornal.

A Continental afirmou no mês passado que aumentaria os gastos com componentes de carros elétricos nos próximos anos, mas espera evitar qualquer grande impacto em seus ganhos por meio de vendas adicionais de novos projetos de pesquisa e desenvolvimento.





Conteúdo Correspondente:

Escreva um comentário