A indústria automotiva continua em boa forma para 2018 , com volume subindo 4,2% no mês passado com 1,16 milhão de carros cadastrados, cerca de 50 mil a mais do que em fevereiro de 2017. Este também foi o melhor mês de fevereiro desde 2008, quando 1,19 milhão de carros foram vendidos. 

Golf a Diesel
Golf a Diesel

Além dos principais mercados, como Alemanha, Espanha e França, foram Croácia, Grécia, Hungria e Estônia, que registraram os maiores crescimentos de dois dígitos, com os SUVs respondendo por 33% do mercado total no mês passado.

“Este aumento em volume para fevereiro é muito encorajador e segue resultados fortes para janeiro, indicando que a indústria automobilística europeia poderia continuar a crescer nos próximos meses. No entanto, 13 dos 27 mercados da Europa registraram quedas em fevereiro, então o crescimento futuro da indústria pode se tornar dependente de poucos mercados selecionados ”, declarou o analista global da JATO, Felipe Munoz.

“O diesel continua a cair e sua participação de mercado caiu para 39,5%, com queda significativa de 12,8 pontos percentuais em fevereiro. Isso foi causado principalmente pela queda na demanda na Alemanha e no Reino Unido, onde os registros de veículos a diesel diminuíram 19,2% e 23,5%, respectivamente. A demanda por gasolina continua a crescer à medida que o diesel declina e os registros de gasolina aumentaram 16% em fevereiro. Veículos movidos a combustíveis alternativos também foram capazes de aproveitar o declínio do diesel, crescendo 18,5%. ”

Os SUVs não foram o único segmento que registrou um pico nos registros em comparação ao mesmo período do ano passado. Tanto os carros executivos quanto os de luxo também tiveram um pequeno aumento.

Quando você soma tudo isso, é o Grupo VW que reina supremo, com a Volkswagen mantendo-se no topo do mês passado, seguida pela Renault, Peugeot, Ford e Opel / Vauxhall. Quanto ao modelo mais popular, esse seria o Golf, que aumentou seu volume em 16%.

Entretanto, o Peugeot 3008, o 5008, o Citroen C3 Aircross, o Opel Crossland e o Grandland contribuíram para o aumento da quota de mercado da PSA .

Quanto ao maior declínio na participação de mercado, isso teria que ser FCA, devido à diminuição da demanda por suas marcas Fiat e Lancia.





Conteúdo Correspondente:

Escreva um comentário