O Denatran acaba determinar regras e punições não só para veículos, mas também para pedestres e ciclistas. No entanto, como não havia regulamentação sobre como aplicar as multas para pedestres e ciclistas, nada aconteceu. Isso muda a partir de 2018. A instituição publicou a Resolução 706/2017 que determina como as multas funcionarão. As regras serão válidas em 180 dias (ou seja, no final de abril).

Multa
Multa

De acordo com a resolução de Denatran, qualquer pessoa que atravesse a rua fora da faixa de pedestre, passarela ou passagem subterrânea pagará uma multa de R$ 44,19, metade da qual é cobrada em uma infração de veículo leve.

Isso também vale para lugares em que há um grande fluxo de trânsito, deixando para fora as ruas residenciais. O mesmo acontece com aqueles que ficam no meio da rua parados ou usam a estrada para algo que prejudicaria o tráfego sem autorização.


Para os ciclistas, a novidade é a multa de R$ 130,16 se eles circulam em um lugar proibido ou “agressivamente”, a mesma quantidade de infração média. A resolução ainda diz que a bicicleta pode ser “removida” da mesma maneira que um carro também é guinchado.

E qual é o lugar proibido para andar de bicicleta? De acordo com o CTB, as bicicletas não podem caminhar na calçada, em rotas de trânsito rápido e / ou sem cruzamentos. Se não houver ciclovia, o ciclista deve estar no lado da pista, sempre na mesma direção que os carros. Na calçada, apenas se houver uma sinalização que permita o trânsito, se não o ciclista deve desmontar a bicicleta.

“Essas regras destinam-se a garantir, em primeiro lugar, a segurança desses pedestres e ciclistas, a de todos em trânsito. Embora o pedestre seja a parte mais frágil, também pode causar um acidente quando não cumpre as regras de trânsito e coloca todos os outros em risco “, explica Elmer Vicenzi, diretor da Denatran, e presidente do Conselho Nacional de Tráfego (Contran).

Embora as regras existam, não existe uma definição de como os departamentos de tráfego devem agir para processar o infrator. Denatran diz que o agente de tráfego deve preencher um aviso de infração, com o nome completo, documento de identificação e, “quando possível”, endereço e CPF de quem será multado.

No entanto, não explica o que acontecerá se o infractor se afastar ou se recusar a passar os dados, uma vez que, com exceção da polícia, os outros agentes de trânsito não têm autonomia para reter a pessoa e não podem obter essa informação.

Author

Cleyton Negri é apaixonado pelo mundo automotivo e principal participante do projeto Autos Novos, em que desempenha papel de redator/diretor desde de 2013. Graduando na área de Tecnologia da Informação e criador de vários projetos na internet, entre em contato pelo email: contato@autosnovos.com