O desacordo com o gerente de uma concessionária em Asa Norte – Brasília levou um homem de 35 anos a apresentar um boletim de agressão na Ala Norte. Um vídeo que mostra o incidente, gravado pelo próprio cliente com o telefone móvel, tem circulado pelas redes sociais . De acordo com a Polícia Civil, os dois envolvidos prestaram depoimento na 2ª Delegacia de Polícia e ninguém foi detido.

Cliente é agredido em concessionária da Fiat


No vídeo gravado pelo mineiro Pablo Ferrari, você pode ver o gerente da loja ameaçando , em seguida, fisicamente atacando você com o que parece ser socos e empurrões. O cliente então sai correndo da loja, ainda filmando a cena. O post se transformou na internet, irritou os usuários da Internet e reuniu mais de 15.000 curtidas e 25.800 compartilhamentos . O Correio Braziliense, um dos principais jornais da cidade contatou a concessionária Tecar envolvida no incidente, mas a loja informou que prepara uma nota de esclarecimento público.

Veja o Vídeo

Em testemunho à polícia, Pablo disse que teria problemas em um dos dois veículos que comprou na concessionária em dezembro de 2016, um Fiat Toro. Ele teria ido ao lugar para encontrar uma solução. Segundo o cliente, o carro percorreu 7 mil quilômetros e, antes de três meses de uso, parou de funcionar depois de ter atolado na areia da praia, durante uma viagem de férias ao Espírito Santo.

“Dois dias depois, o nosso problema começou. Nós chamamos a concessionária Triest em Vila Velha pedindo um carro de reserva, mas eles me disseram que o problema tinha sido de mau uso pelo técnico da empresa, então fomos informados de que devemos pagar todos os custos Da reparação e que não tínhamos direito ao carro de reserva que estava incluído na garantia “, explicou.

Como começou as ameaças

No Facebook, Pablo também disse que voltou a chamar a concessionária e conversou com o gerente mecânico, que, por sua vez, aconselhou-o a fazer um relatório técnico sobre o suposto fracasso, que custou aproximadamente R$ 1, 7 mil. Uma representação contra a empresa em Procon, “mas não fez nada”.

Depois de entrar em contato com Fiat, Pablo disse que teria sido informado de que Tecar, na Ala Norte, resolveria o problema. Ele esperou cerca de duas semanas e, sem resposta, foi até a concessionária pedir explicações.

“Eu não concordei com as explicações do gerente e assim comecei a filmar as respostas para arquivar um processo, mostrando a falta de verdade e desprezo .” O gerente ficou muito irritado com a minha atitude e me disse para deixar a loja, se não eu “iria me ver com ele”. Como eu me senti muito ameaçado, comecei a gravar e fui agredido.

Resposta da Empresa

No relatório do incidente, o funcionário(agressor) disse que ele foi avisado da presença de Pablo na loja por seu gerente comercial. Segundo ele, o cliente estava criando confusão, interrompendo as vendas para outros clientes, falando alto e dizendo que ninguém iria vender carros no local. Pablo teria então provocado-o : “Você não é um homem”, disse ele. Ele, por sua vez, assume que perdeu a paciência e o agrediu

Write A Comment